sábado, 6 de abril de 2013

O que eu realmente penso e não sei como dizer.


Como falarei?

Um dia eu estava pensando sobre o que  poderia lhe dizer

Com que palavras escolher, com que tom de voz eu vou ter

Até escrever pra mim, que gosto de conversar, se torna um dever difícil.

É como se as palavras fossem sumindo aos poucos e você não consegue alcançá-las.

Com tanta proza e poesia, música e leveza, simplicidade e humildade...


Assim é você... como eu vejo, como eu sinto, um sorriso, uma verdade...



Uma angústia, uma nota, um dedilhar, um harmônico, um simples brotar...

A timidez, que não é notória, só quem conhece é quem sabe, só quem toca é quem sente...

O olhar mais puro e fascinante, charmoso em seu andar, leveza da sintonia compassada

Isso tudo eu penso, mas não falo, reflito, será que tem mais alguma coisa? 

Eu não sei, se tiver algo mais, eu prefiro falar pessoalmente, para ver a reação de ambos! 



2 comentários:

  1. Adorei o poema, muito lindo e com sensibilidade. Parabéns

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Palavras sinceras Yri e com poesia. Gosto disso!! Parabéns!=]

    ResponderExcluir